Mezplasta
Leiria, 2019

Mezplasta é uma instalação que reflete sobre a omnipresença do plástico nas nossas vidas, bem como a forma desta omnipresença.
O plástico não é apenas uma matéria muito presente nas várias partes do nosso dia-a-dia, em quantidade – basta pensar na diferença de quantidades entre vidro, papel, metal e plástico na nossa reciclagem caseira. Neste sentido, é também um dos produtos, senão o produto, que melhor representa a força do regime petrolífero que presentemente suporta o nosso mundo. Por outro lado, a forma desta presença constante do plástico no nosso dia-a-dia é variada e múltipla.

Derivado do verbo Grego plassein, que significa moldar, o plástico está presente nas nossas vidas de forma fluída, moldado e moldando uma
miríade de aspectos da nossa existência moderna. Esta instalação procura transmitir estas duas condições – omnipresença e fluidez existencial do plástico – criando um recinto paisagístico de plástico. Toda a instalação é realizada em diferentes componentes de plástico: a estrutura em tubos de pvc, o seu revestimento em polietileno, e a paisagem e mobiliário no seu interior de polietileno de alta densidade. A ideia de fluidez que pretendemos comunicar, isto é, de passagem efémera do plástico por vários estados e sentidos, é concretizada na própria imagem exterior da instalação do claustro, com o seu aspeto industrial “em processo”, de algo em transformação eminente. Mas também pelo próprio processo da instalação: os tubos de pvc, bem como o plástico moído de polietileno que forma a paisagem e mobiliário serão devolvidos às respectivas indústrias. Daí o material estar num estado de suspensão em que passou de ser algo útil e objectual para uma matéria prima (quase como um minério) que será usada para um outro fim completamente novo. Esta deslocalização de um processo industrial, que se passa fora da vista da maioria das pessoas, para o espaço do museu, destaca o plástico enquanto material bruto, não  objectualizado e questiona sobre o seu valor enquanto matéria. Inserido na exposição Plasticidade, que nos apresenta uma história longa e detalhada do ciclo do plástico, esta instalação procura contribuir criando literalmente um espaço em que somos imersos por uma presença impositiva e misteriosa do plástico, mostrando o seu lado quase alienígena. Aos conteúdos expositivos da exposição que provocam as nossas questões, procuramos dar ao plástico a capacidade para nos questionar também.

Cliente/Promotor: Câmara Municipal de Leiria
Desenho/construção: colectivo TIL
Parceiros: Micronipol, Sival

 ~ 2019 | info@otil.pt

Scroll Up