Campanha Inaugural
Leiria, 2020

Campanha Inaugural é uma peça para três construtores e um baterista (Pedro Marques) em 7 atos. No contexto do projecto MAPAS, o Colectivo Til tomou vários espaços da cidade de Leiria, inaugurando cada lugar com intervenções construídas, uma placa nomeadora de cada local e uma cerimónia oficial. Da performance, ficaram várias peças no espaço público que podem ser percorridos de novo, convidando a um circuito de visitação de detritos e fragmentos em espaços esquecidos da urbanidade.
Sinopse do projecto:
A nossa vida urbana é feita de interrupções, fragmentos e restos que não vemos, pois estamos demasiado atarefados a tentar chegar à nossa vida urbana, o que normalmente envolve consumir algo. Entre outras coisas consumimos uma ideia de “cidade”, por exemplo. E o ciclo repete, este consumo gera mais detrito, mais baldio, mais um fragmento. Campanha inaugural é um processo de escavação urbana que procura os sítios, espaços e ecologias invisíveis do dia a dia da cidade. O processo consistiu em percorrer os mesmos caminhos que a nossa vida na cidade envolve, mas desta vez olhar para o lado, para o que está debaixo da estrada, na sombra do processo urbano, atrás das vistas, o que sobra sem sabermos que sobrava. Bastou fazer os caminhos de novo e descobrimos caminhos que já não existem, vistas que não têm nome, muros e barreiras que separam, ligações que se tornam secretas. Confrontamo-nos com os espaços onde o processo urbanização não perdoa, não lembra, não cura e deixa as feridas
abertas. A continuidade do espaço é um mito, a existência de algo como “cidade” é uma nuvem, mas o pulsar dos materiais sem nome, isso é uma realidade. Por caminhos vulgares procuramos demarcar e inaugurar estas acções materiais e urbanas como se de sítios próprios se tratassem. Patrimónios oblívios da urbanidade.

Cliente/Promotor: M.A.P.A.S.
Desenho/construção: colectivo Til.
Bateria: Pedro Marques
Fotografia: colectivo Til, Idalécio Francisco

 ~ 2020 | info@otil.pt

Scroll Up